Antipalavras
Poesia e microcontos

C: Drive Failure

Marcadores:
troco músculo cardíaco
por HD em branco
lavado formatado
sem nenhum quilo
byte de sentimento

compro photoshop
de editar lembrança
pra apagar camadas
de amores ciúmes
medos e medos
até sobrar a foto
original de mim
que nunca foi tirada

queria ser número
hexadecimal
e desse mal
sentimentalista
estar protegido
por firewall
ou egoismo
antivirus comum
do sistema operacional
humano
3 comentarios:

Ah, essa maníaca era da informática...

Bravo! Bravo!


Se fosse tão simples assim, quem não trocaria...
Muito bem bolado...adorei.


egoímo como um antiviurs do sistema operacional humano, mas bah, tchê, que sacada! Metáforas pós-modernas, injetando sangue e emoção nesse mundo táo frio da informática. Show de bola!


Postar um comentário

Antipalavras

Ou isso é poesia ou não é nada,
um nada absoluto que persiste
em tentar explicar tudo.

Mas um nada que não é ausência,
e sim, preenchimento ao contrário.

Assim como o mito, um nada
que é tudo, a poesia é um nada
superior ao vazio:
Antipalavra que anula a palavra comum,
resultando a realidade.

Essa é a função do poeta
equilibrar com antipalavras
um mundo construído por palavras
para que a ilusão em que todos vivem
adquira existência.

Anti-herói

Minha foto
Escrevo poesias, contos e crônicas. Toco piano na banda Reino Elétron. Sou formado em Letras e faço Jornalismo na Universidade de Passo Fundo

Antimarcadores

Antipeixes


AntiTwitter

    Siga-me no Twitter

    Receba por e-mail

    Antisseguidores