Antipalavras
Poesia e microcontos

Disputa

Marcadores:
- Diz, puta, onde tá meu marido?
5 comentarios:

Bruno, gostei muito também do teu trabalho. É bom ter gente de qualidade pra gente se estimular a produzir cada vez mais e melhor.
Um abraço.
Cara, tua sacada neste micro é fantástica, mas me parece que enfraquece o foco da sonoridade da expressáo disputa quando acrescentas o elemento semântico subjacente - puto x puta. Eu faria assim:

- Diz, puta, onde está meu marido?

A disputa já anunciada de cara entre a mulher e a puta.

Tô pensando dá um rolé, hoje, lá pelo batata. Pinta por lá pra gente trocar uma idéia. Grande!


- Não sei, já não está mais aqui.

(Gostei muito daqui)

Abraços Imundos!


Incrível! Parabéns pela criatividade e inspiração...


Postar um comentário

Antipalavras

Ou isso é poesia ou não é nada,
um nada absoluto que persiste
em tentar explicar tudo.

Mas um nada que não é ausência,
e sim, preenchimento ao contrário.

Assim como o mito, um nada
que é tudo, a poesia é um nada
superior ao vazio:
Antipalavra que anula a palavra comum,
resultando a realidade.

Essa é a função do poeta
equilibrar com antipalavras
um mundo construído por palavras
para que a ilusão em que todos vivem
adquira existência.

Anti-herói

Minha foto
Escrevo poesias, contos e crônicas. Toco piano na banda Reino Elétron. Sou formado em Letras e faço Jornalismo na Universidade de Passo Fundo

Antimarcadores

Antipeixes


AntiTwitter

    Siga-me no Twitter

    Receba por e-mail

    Antisseguidores