Antipalavras
Poesia e microcontos

Soneto de um betelgeusiano

Marcadores:
À luz de um fraco sol amarelado
existe um planetinha que se move
na órbita em que foi aprisionado:
vai ele e seus irmãos, que formam nove.

Pois nesse planetinha, há quem prove,
que vive um povo inculto e atrasado,
que julga haver um jeito que renove
a vida de um planeta devastado.

Primatas que esqueceram sua origem,
pois toda a natureza eles agridem,
pensando estar no centro do universo.

Humana, ainda chamamos essa raça
Que sempre foi sua própria e vã desgraça
e logo viverá somente em verso.
1 comentarios:

"existe um planetinha que se move"
Isso é muito Pequeno Príncipe, bacana rapaz.
Microabraço.


Postar um comentário

Antipalavras

Ou isso é poesia ou não é nada,
um nada absoluto que persiste
em tentar explicar tudo.

Mas um nada que não é ausência,
e sim, preenchimento ao contrário.

Assim como o mito, um nada
que é tudo, a poesia é um nada
superior ao vazio:
Antipalavra que anula a palavra comum,
resultando a realidade.

Essa é a função do poeta
equilibrar com antipalavras
um mundo construído por palavras
para que a ilusão em que todos vivem
adquira existência.

Anti-herói

Minha foto
Escrevo poesias, contos e crônicas. Toco piano na banda Reino Elétron. Sou formado em Letras e faço Jornalismo na Universidade de Passo Fundo

Antimarcadores

Antipeixes


AntiTwitter

    Siga-me no Twitter

    Receba por e-mail

    Antisseguidores